Blog

Corpo dolorido? Se recupere com a fisioterapia aquática na piscina

Corpo dolorido? Se recupere com  a fisioterapia aquática na piscina

Depois de fazer um exercício mais intenso, é importante deixar o corpo descansar, diminuir o ácido lático e recompor nutrientes da musculatura

Você que participou da Corrida de Obstáculos, no Rio, correu na areia, carregou pneu nas costas e ainda correu na grama. É normal ficar com o corpo todo dolorido. São atividades diferentes do dia a dia mesmo que você corra, faça musculação, nade ou pratique outro esporte.
É necessário deixar o corpo descansar, diminuir o ácido lático e recompor os nutrientes da musculatura. O tempo de recuperação vai depender do seu preparo físico. Durante este período, deve alimentar-se bem, beber muito liquido. Caso os joelhos reclamem, fiquem doloridos, é recomendado colocar gelo compressivo.

Colocar toalha úmida sobre o joelho e por cima o gelo, amarrar com atadura. As pernas devem ficar mais altas do que o tronco para facilitar a drenagem do edema. Se persistir por uma semana é melhor procurar um especialista. Muitas vezes já existia alguma lesão anterior, lesão meniscal, esgarçamento de um tendão e após uma atividade forte como esta pode ter agravado.

Normalmente, será recomendada a fisioterapia aquática em deep water sem colocar os pés no chão, com zero impacto e realizar exercícios na parte mais funda da piscina para facilitar a drenagem linfática.

Quanto mais fundo, maior a pressão hidrostática atuando em todo o corpo, no caso nas pernas, drenando o edema da articulação dos joelhos. Usar e abusar da marcha suspensa, trabalhando os pés fazendo planti-flexão (pé de bailarino) e dorse-flexão (pé de palhaço). Estes movimentos ajudam na mobilidade e na drenagem da articulação dos joelhos.

Os exercícios de pedalar com amplitude grande são importantes também, a principio sem nenhum implemento, só a resistência da água coordenada com a respiração diafragmática que ajuda também a massagear os gânglios linfáticos.

A medida que o quadro álgico for diminuindo, os exercícios serão intensificados. No inicio, o objetivo é eliminar a dor, diminuir o edema, aumentar o arco de movimento para flexão e extensão do joelho sem agredi-lo, devolvendo os movimentos funcionais.

A incidência da ação da gravidade é gradativa, aos poucos o paciente começar a andar com 20% do peso corporal até chegar a 50%, quando o nível da água está na cintura. O tratamento deve ser o mais precoce possível, eficaz, às vezes é mais demorado vai depender da gravidade do caso e da recuperação de cada um.

O trabalho na água é importante e principalmente porque pode começar o mais rápido possível, ele não agride a articulação . O calor e o próprio envolvimento do corpo pela água ajuda muito a melhorar o quadro álgico.

O empuxo aumenta milimetricamente o espaço intra articular, diminui a pressão sobre a articulação, facilitando o movimento. O alongamento suave é recomendado e o relaxamento é muito importante ao final da sessão.

Devemos escolher as atividades que somos capazes e estamos preparados para executa-las. A pista de obstáculos para muitos pode ter sido só uma brincadeira mais forte e para outros um esforço supremo.

Os recursos, as técnicas que podem ser aplicadas na fisioterapia aquática são inúmeras e estão sendo aprimoradas cada vez mais para tratar as contusões, fraturas e outros problemas mais sérios. A fisioterapia aquática é capaz de tratar um bebê, uma criança um adulto sedentário e um idoso com pouca resistência, como também um atleta amador ou de alto nível.

FONTE: Globo.com

LINK:
http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2013/11/corrida-sem-orientacao-de-profissional-pode-gerar-lesao-e-interromper-treinos.html