Blog

Osteopatia

Osteopatia

É um sistema de tratamento que se utiliza da terapia manual extremamente precisa e sofisticada, baseada em princípios filosóficos estruturados na anatomia e fisiologia, que buscam eliminar as causas de uma saúde prejudicada, fortalecendo o poder curativo básico que existe dentro do próprio corpo.

Ao contrário do que muitas pessoas e até alguns profissionais da saúde entendem, a osteopatia não é um conjunto de técnicas manipulativas agressivas com o intuito de colocar o que esta fora no lugar ou que é apenas uma técnica da fisioterapia. Na Realidade ela é muito mais do que isso, é um meio de cura de eficiência extrema que é praticado em todo o mundo principalmente nos EUA e Europa, onde existe ampla aceitação do seu valor.

A Osteopatia adota o conceito da medicina “da pessoa com um todo” considera o sistema de músculos, ossos, articulações especialmente da coluna e até vísceras como reflexos da doença no corpo e também responsáveis pelo inicio dos processos patológicos.

O Osteopata examina detalhadamente o paciente tendo em mente descobrir aquilo que está estruturalmente incorreto e com técnicas sutis e de grande precisão procura recuperar a função saudável daquele sistema. As técnicas osteopáticas podem ser aplicadas sobre as estruturas do corpo como: músculos, ossos, nervos, artérias e até vísceras, utilizadas para tratar as mais diversas queixas e patologias entre as principais e com excelentes resultados registrados estão: as dores articulares como Artrites e Artroses, problemas de coluna como Hérnias de Discos, Ciáticas e Escolioses, ou as conhecidas tendinites e bursites. Além dos problemas que afetam o nosso aparelho musculoesquelético a osteopatia também possui incríveis resultados no tratamento de pessoas que sofrem de enxaquecas, gastrites, vertigens,insônia, refluxos, distúrbios intestinais entre muitos outros. No Entanto, a grande diferença da Osteopatia para a medicina e fisioterapia tradicional é que o raciocínio e plano de tratamento não são feito para doença e sim para o paciente. Portanto o nome e tipo da doença é importante, mas a condição clínica e o funcional do paciente é fundamental para o sucesso do tratamento.

No Brasil um curso de fisioterapia tem duração de quatro anos e para este fisioterapeuta se tornar um osteopata é necessário pelo menos mais quatro a cinco anos de formação em osteopatia no qual a exigência de conhecimentos anatômicos, fisiológicos e palpatórios são muitos maiores, além de proporcionar um arsenal de técnicas que nenhum método da fisioterapia é capaz de oferecer, dando maior capacidade ao fisioterapeuta de ajudar o seu paciente.

Não existe limite de idade para o paciente iniciar o tratamento osteopático, hoje existe osteopatas especializados em tratar de bebes recém nascidos com traumas durante o parto ou com problemas de refluxos, adolescentes com escolioses e desvio posturais, adultos com hérnia de disco, tendinites e gastrites e até idosos com queixas crônicas de coluna, insônia e vertigens.
A freqüência do tratamento varia muito entre os pacientes, pois depende muito da quantidade de correções que necessitam ser feitas e principalmente da capacidade do organismo do paciente de se adaptar e reagir com as manipulações corretivas, já que um importante principio da Osteopatia é respeitar a capacidade de auto cura do corpo.

A Osteopatia chega ao Brasil para revolucionar o tratamento da fisioterapia, pois com seu grande potencial já reconhecido nos países de 1° mundo contribuirá para melhorar os resultados de tratamento dos problemas de saúde encontrados em grande parte da população, diminuindo o número de cirurgias e aumentando a satisfação e qualidade de vida destes pacientes.

FONTE: Equilibrio Físico

LINK:
http://www.equilibriofitefisio.com.br/osteopatia/