Blog

Pubalgia em atletas – Fisioterapia Desportiva

Pubalgia em atletas – Fisioterapia Desportiva

Muitos não conhecem esse termo, mas quase todos os atletas já ouviram falar em Pubalgia.

A Pubalgia, na verdade, não se refere a nenhuma patologia em específico. Trata-se de um quadro que gera dor na virilha e na região central do osso púbis. Atletas têm mais afinidade com o problema, pois, frequentemente, são os mais acometidos pela Pubalgia que, em geral, acaba atrapalhando a rotina de treinos e competições.

Existe uma articulação chamada sínfise púbica, imóvel e que fica na região central à frente da bacia, ligando o osso púbis direito e esquerdo. Qualquer alteração na relação de forças aplicadas em qualquer ponto da bacia ou desequilíbrios musculares implica em mudança de tensão aplicada sobre a sínfise púbica e o resultado desse fenômeno é uma inflamação inicial da articulação com a possível evolução a um processo degenerativo crônico.

Causas da Pubalgia
A frequência da Pubalgia é maior em atletas e, por isso, apresenta como principais causas:

– Microtraumatismos repetitivos por esforços físicos excessivos;

– Desequilíbrio das forças das inserções musculares adjacentes à sínfise púbica – principalmente os adutores da coxa;

– Disfunção da região posterior da bacia, o que aumenta a tensão na sínfise púbica;

– Podem também estar relacionadas com sequelas cirúrgicas urológicas e infecções.

Sintomas da Pubalgia
– Dores persistentes na região púbica;

– Limitação da amplitude de movimento do quadril;

– Dor e ardor na região da virilha;

– Espasmos de adutor;

– Estalido na sínfise púbica.

No caso de atletas, a dor tende a se agravar durante esforços físicos intensos, o que pode dificultar ou impedir a prática de atividades esportivas.

Fisioterapia
A Pubalgia pode ser do tipo aguda (traumática) ou crônica. Em todos os casos o repouso é sempre recomendado. O processo inflamatório está presente por, relativamente, pouco tempo, mas se não houver o devido tratamento, a lesão pode se transformar rapidamente em um processo mais crônico, implicando em alteração das estruturas músculo-esqueléticas próximas à sínfise púbica.

Na fase inicial, o trabalho da Fisioterapia consiste em controlar os sinais de inflamação. Passado esse período, os exercícios são aplicados para restaurar o funcionamento normal da articulação e o equilíbrio muscular da região. Os músculos abdominais são treinados a ficarem contraídos durante toda a prática de qualquer atividade física.

Os principais objetivos dos exercícios prescritos durante a reabilitação de uma lesão da sínfise púbica são:

– Fortalecimento do transverso do abdômen;

– Alongamento dos adutores da coxa;

– Fortalecimento dos extensores da anca.

Se aos primeiros sinais a Pulbagia for tratada, menores serão os riscos de redução do rendimento de atletas.

FONTE: Fidioterapiamanual

LINK:

http://fisioterapiamanual.com.br/blog/artigos/pubalgia-em-atletas-fisioterapia-desportiva/